Peirópolis – Toca dos Dinossauros

O distrito de Peirópolis se encontra na porção rural da cidade de Uberaba, que se situa no estado brasileiro de Minas Gerais. Mais especificamente, Peirópolis fica às margens da rodovia BR-262, em uma distância de aproximadamente vinte quilômetros do centro de Uberaba. Peirópolis iniciou a sua formação a partir das atividades relacionadas à produção de calcário, o que ocorreu logo no início do século XX e que foi a principal atividade ocorrida nessa região por muitos e muitos anos.

Atualmente, esse distrito é considerado um ponto turístico, após o encontro de fósseis, principalmente de dinossauros, em seu território. Foi por esse motivo que se construiu um museu, o chamado “Museu dos Dinossauros” e que atualmente se situa em um local onde antigamente havia uma ferroviária, que pertencia à Companhia Mogiana. Essa ferrovia, que chegou na cidade de Uberaba no ano de 1889, foi a primeira no Brasil a passar pelo Triângulo Mineiro e foi bastante conhecida pelas pessoas com o apelido de “Linha do Catalão”. A estação que se passava por Peirópolis e que ficava em uma posição entre a cidade de Uberaba e a cidade de Conquista, era bastante pequena, comparada às demais e se chamava Cambará, na época.

Quem fez com que o distrito surgisse logo após a construção da estação de Cambará foi um senhor que se chamava Frederico Peiró e que, de maneira a aproveitar a abundância de calcário que havia naquelas redondezas, resolveu montar, no ano de 1911, duas fábricas de cal virgem, o que iniciou uma das principais atividades que movimentaram a cidade de Uberaba. E é por derivação do nome desse senhor que foi dado o nome ao distrito, Peirópolis. Ao longo do desenvolvimento de demais atividades nas redondezas e em todo o estado de Minas Gerais, a Cia. Mogiana acabou por desativar a estação da cidade de Conquista, primeiramente, para dar uma maior prioridade à linha ferroviária de Igarapava, que havia sido inaugurada no ano de 1915 e que recebeu essa prioridade justamente pelo fato de prover um maior retorno financeiro. Com o passar de mais alguns anos, a estação de Peirópolis também acabou sendo fechada, por fim.

O museu dos dinossauros que tomou o lugar da estação ferroviária de Peirópolis, faz parte de um complexo cultural, que é o Complexo Científico Cultural de Peirópolis e que conta com um parque apresentando diversas réplicas de dinossauros, além do museu. De maneira a abrigar quem vai visitar esse complexo, há diversas pousadas e restaurantes para atender aos turistas.

Tudo isso começou no ano de 1940, em que algumas atividades paleontológicas promoveram grandes descobertas de fósseis nas redondezas desse distrito e nele mesmo. Na realidade, alguns ossos já haviam sido descobertos anteriormente, em uma obra que tinha como propósito fazer uma retificação melhor da ferrovia da Cia. Mogiana, mas, de uma maneira efetiva, a região foi de fato começada a ser estudada de uma maneira paleontológica pelo paleontólogo chamado Llewellyn Ivor Price, no ano de 1947. O que ele descobriu logo no início das atividades foram ossos em forma de fósseis do período nominado de Cretáceo Superior, que é o equivalente a cerca de sessenta e cinco a até cem milhões de anos atrás. Essas atividades de escavação acabaram durando, por parte de Llewellyn Ivor Price, considerado o pai da paleontologia brasileira, desde o ano de 1947 a até o ano de 1961, ocorrendo de modo sistemático e ao longo de toda a região de Caieira.

Apesar de terem sido encontrados centenas de ossos de dinossauros desse local, essas peças se encontram na cidade do Rio de Janeiro, no Museu de Ciências da Terra, que pertence ao Departamento Nacional de Produção Mineral, o DNPM. Após a restauração da antiga estação ferroviária no ano de 1991, obra que partiu da prefeitura da cidade de Uberaba, houve a abertura do chamado Centro de Pesquisas Paleontológicas Llewellyn Ivor Price, homenageando o paleontólogo brasileiro e gaúcho. Juntamente a esse centro de pesquisas havia, como que de maneira consequente, um pequeno museu, que abrigavam as peças que acabavam sendo encontradas e que ficou à disposição da visitação pública após ser vinculado, como uma necessidade de gestão, à Fundação Cultural de Uberaba.

O museu então cresceu em muito e, atualmente, apresenta diversas atrações e grandes destaques. Um deles é o esqueleto do dinossauro cujo nome científico é Uberabasuchus terrificus, que é considerado um dos fósseis mais completos já encontrados em todo o mundo e que foi descoberto em 2000. Esse fóssil está exposto logo ao lado de uma réplica de como seria esse animal atualmente. Ele pesaria cerca de trezentos quilos e chegaria a até um pouco mais de dois metros e meio de altura.

Atualmente há, na realidade, dois locais diferentes para a exposição dos fósseis de dinossauros e de outros animais vertebrados pertencentes ao sítio paleontológico do distrito de Peirópolis. Um deles está ambientado conforme o estilo colonial e o outro, por sua vez, se encontra disposto de uma maneira mais moderna. No entanto, ambos estão situados na localização da antiga ferroviária, conforme já citado anteriormente. Para realizar uma visitação, é só ir em qualquer dia da semana, sendo que o que muda são os horários de funcionamento, estando aberto das oito da manhã até as seis horas da tarde aos fins de semana e nos feriados e das oito da manhã até as cinco da tarde nos dias da semana, isto é, de segunda à sexta feira.

A chamada Toca dos Dinossauros foi criada apenas no ano de 2000 e está mais voltada para a realização de atividades de recreação infantil. Foi a Toca dos Dinossauros quem realizou a inauguração da pousada que leva o mesmo nome, a Pousada Toca dos Dinossauros, e que foi aberta cinco anos após a criação da Toca. Nesse local também é possível se alimentar, uma vez que há um grande restaurante que funciona nos fins de semana e nos feriados, além de apresentar música ao vivo nos dias de domingo. Já a pousada, permanece aberta durante todos os dias da semana, apresentando diversas atividades de recreação, como trabalhos pedagógicos ou radicais, como trekking, tirolesa e rapel, além de passeios ecológicos e ecoturismo, por exemplo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Sudeste

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *