Catetinho Curiosidades

Quando pensamos numa residência presidencial é natural imaginar uma casa ampla com toques arquitetônicos clássicos, não é mesmo? Contudo, quando nos deparamos com o Catetinho nos damos conta de que ele não tem exatamente essas características. A primeira residência presidencial oficial da nova capital do país, Brasília, construída em 1956 tinha função provisória, mas foi pensada com muito carinho pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

O projeto que mesmo sendo simples tem seu lado icônico foi preservado como um museu aberto para a visitação do público. A capital federal atrai um grande fluxo de turistas, nacionais e internacionais, todos os anos que buscam em locais como esse museu desvendar um pouco da nossa história. Que tal conferir algumas curiosidades e descobrir quais os dias de visitação do Catetinho?

Vista da chegada no Catetinho

Vista da chegada no Catetinho

Curiosidades do Catetinho

Conheça a seguir algumas das principais curiosidades que cercam o Catetinho, um dos pontos mais marcantes da história de Brasília.

Palácio de Tábuas

O primeiro nome pelo qual o Catetinho ficou conhecido foi “Palácio de Tábuas” por ter sido erguido com uma estrutura de madeira, o que Oscar Niemeyer tinha a sua disposição para criar uma residência oficial para o então presidente Juscelino Kubitschek. A sede foi inaugurada em 10 de novembro de 1956, quando Brasília ainda estava bem longe de ter suas formas definidas, era o momento do início do trabalho e o palácio feito de tábuas foi construído para que o presidente tivesse onde ficar na cidade e receber convidados.

O Catetinho foi utilizado como sede oficial entre os anos de 1956 e 1959, além de servir a JK era utilizado como base para os pioneiros que estavam empenhados em fazer com que a capital federal ficasse pronta até 1960.

Palácio de Tábuas

Palácio de Tábuas

Por Que Catetinho?

O nome Catetinho para esse abrigo presidencial foi dado pelo seresteiro e violonista Dilermando Reis em referência ao Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, que foi a sede do Governo Federal até 1956 quando o senado aprovou a proposta de JK de mudar a capital para o interior do Brasil.

Dilermando Reis que nomeou Catetinho

Dilermando Reis que nomeou Catetinho

Projeto Surpresa dos Amigos

No início do trabalho de construção de Brasília, JK, se instalou de maneira provisória numa propriedade chamada de Fazenda do Gama, porém, sentia a necessidade de ter um lugar oficial. Para surpreender o presidente um grupo de dez amigos incluindo o arquiteto Oscar Niemeyer se reuniu num bar no Rio de Janeiro e planejou a construção do Catetinho. A construção efetiva da sede levou somente dez dias, assim foi realmente possível surpreender JK.

Fazenda do Gama Primeiro local visitado por JK

Fazenda do Gama Primeiro local visitado por JK

Projeto Diferenciado de Oscar Niemeyer

Embora seja um projeto mais simples e com alguma rusticidade, o Catetinho, já nos apresenta contornos que seriam muito vistos no trabalho de Oscar Niemeyer ao longo de sua carreira. Vale dizer que essa é a única edificação do arquiteto feita completamente de madeira. O material para a construção veio do interior de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Ao olhar para o Catetinho fica claro que ele é muito mais do que apenas um barracão, tem um projeto arquitetônico rico e modernista.

Granizo Como Gelo

Uma das passagens mais curiosas do Catetinho certamente é a da sua inauguração em que os participantes esconderam garrafas de whisky na mata e na hora de brindar usaram o granizo da noite como gelo.

Granizo foi utilizado como gelo para bebidas

Granizo foi utilizado como gelo para bebidas

Bem-Vindos Novos Tempos

O Catetinho em termos arquitetônicos e decorativos promove uma ruptura entre o estilo político que vinha sendo aplicado até aquele momento. O contraste entre essa sede provisória e o Palácio do Catete marca uma transição significativa na história do nosso país. Trata-se de uma sede governamental com linhas mais simples e um toque mais intimista.

Residência Presidencial

O nome oficial do Catetinho era residência presidencial (RP1), contudo, JK não chegou a morar no local, apenas dormia quando era necessário para acompanhar a evolução da construção de Brasília. Como a sede do governo federal durante alguns anos esse palácio de madeira foi utilizado para receber personalidades nacionais e internacionais como o engenheiro responsável pela construção da capital federal, Bernardo Sayão (que dá nome a rodovia conhecida como Belém-Brasília) e a Rainha Elizabeth II, da Inglaterra.

Rainha Elizabeth II

Rainha Elizabeth II

Brasília, Musa de Tom e Vinícius

O Catetinho não recebia apenas personalidades da política, mas também artistas de grande destaque no cenário nacional com destaque para Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Numa das visitas dos artistas nasceu a música “Água de Beber” quando os dois se depararam com a beleza de uma nascente próxima ao palácio das tábuas. Não é atoa que a fonte se chama Tom Jobim. Aliás, foi exatamente a fonte que motivou a localização do Catetinho naquele ponto, ela ajudava a refrescar o calor.

Fonte de Água do Palácio

O Palácio das Tábuas desde a sua inauguração utiliza a fonte Tom Jobim para o seu abastecimento. Os responsáveis por cuidar do atual museu se preocupam apenas com a redução do volume de água mesmo durante os meses mais chuvosos. No período de seca a fonte costuma secar.

Museu

Quando o Catetinho foi inaugurado, no dia 10 de novembro de 1956, JK já transferiu os cuidados do local para a Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPHAN). No ano de 1959 a edificação já havia sido tombada pelo Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPHAN). A conversão do espaço em museu se deu ano de 1970.

museu do catetinho

Museu do Catetinho

Museu do Catetinho

Preservação e Reformas

Uma das grandes preocupações dos responsáveis pelo Catetinho é evitar que as madeiras do Palácio das Tábuas sejam atacadas por insetos, o trabalho de descupinização tem sido constante. A última grande reforma pela qual o espaço passou aconteceu em 2012, no entanto, ainda se preserva muito dos objetos originais da residência de JK como objetos usados pelo próprio presidente. Há uma moringa que era de uso pessoal de JK assim como móveis e o violão do seresteiro Dilermando Reis que foi quem deu a ideia do nome Catetinho.

Museu ficou fechado 9 meses para reforma, mas já esta reaberto

Museu ficou fechado 9 meses para reforma, mas já esta reaberto

Visitas ao Catetinho

Anualmente, o Catetinho recebe um volume de visitas em torno de 23 mil turistas, contudo, acredita-se que o museu tem potencial para mais, precisa apenas de mais divulgação diante do público. O palácio está localizado a beira de uma das principais rodovias que dão acesso a Brasília, a BR-040. Boa parte dos turistas que chegam ao Catetinho é constituída de participantes de excursões escolares que vem de vários estados assim como turistas estrangeiros. O museu está aberto a visitante de segunda a domingo no período entre 9h e 17h, a entrada é franca.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Atrações Turísticas

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *